Qual a diferença entre taxa de abertura e taxa de cliques?

Qual a diferença entre taxa de abertura e taxa de cliques?

Qual a diferença entre taxa de abertura e taxa de cliques?

Medir a taxa de abertura e a taxa de cliques no e-mail marketing é algo que não pode ser desprezado, afinal, para usar essa ferramenta de maneira inteligente é importante entendê-la. Os relatórios de mensuração dessas taxas são básicos para quem trabalha com o envio em massa, mas sua confusão ainda é comum entre alguns gestores. Por isso, no post de hoje, vamos abordar suas principais diferenças e características:

O que é a taxa de abertura?

Pois bem, imagine que você enviou sua campanha para 100 pessoas e 20 abriram. A taxa de abertura será de 20%, ou seja, é a quantidade de pessoas que abriram seu e-mail dividida pelo número de pessoas que o receberam. Aliás, esse percentual (20%) é a média de mercado para taxas de abertura. Então, se suas newsletters superaram essa média, você está fazendo um ótimo trabalho. No entanto, lembre-se que segmentos específicos podem ter resultados ainda melhores, como aqueles que oferecem promoções de viagem, cuja taxa pode superar os 30% se bem segmentada.

O que é a taxa de cliques?

Já a quantidade de cliques nos links dentro do e-mail equivale à taxa de cliques. É fato que, no geral, os consumidores pensam duas vezes antes de clicar em qualquer link por medo de vírus ou desinteresse. Portanto, pode acontecer de sua taxa de abertura de e-mails ser alta, mas a taxa de cliques ser muito baixa — nesse caso, vale reavaliar o layout da campanha e seu conteúdo para torná-los mais atrativos, facilitando a localização dos links no texto, otimizando a página de destino e incentivando os cliques.

As duas taxas devem ser monitoradas com frequência para que você saiba onde sua empresa está acertando ou errando. Só assim suas campanhas de e-mail marketing serão formuladas e enviadas de maneira inteligente.

Minhas taxas de cliques/abertura estão baixas. E agora?!

As taxas de abertura e de cliques são as métricas mais observadas nas campanhas de e-mail. Mas é preciso considerar fatores como: a frequência de envio, para entender se um determinado percentual pode ou não ser considerado baixo, e o total de engajamento, que é medido pelo número absoluto de cliques.

Por isso, os números mensais de cliques por contato de todas as campanhas devem ser comparados para que você possa fazer uma análise adequada quando frequências diferentes estão envolvidas. O impacto a longo prazo da frequência de mensagens também deve ser considerado.

O objetivo das taxas de cliques e abertura é variável conforme o tipo de e-mail marketing que você envia e o setor em que você atua. A métrica deve envolver a receita por contato e por mês, ou seja, quanto o e-mail marketing gera de receita para cada contato atingido (ROI). Entenda que as métricas da campanha funcionam como diagnósticos para que você saiba onde melhorar.

Outro ponto a ser observado é que, para sistemas de e-mail marketing, a leitura pode ocorrer sem que haja download das imagens e pode não ser contabilizado no sistema. Por isso, pode ser que a taxa de leitura seja maior do que a informada nos relatórios.

De toda forma, ao entender e analisar as taxas, é possível construir uma estratégia de marketing assertiva, direcionada para o público-alvo certo. Assim, as taxas terão melhor desempenho ao longo do tempo, gerando mais resultados para o seu negócio.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre a diferença entre taxa de abertura entre taxa de cliques? Entre em contato ou deixe sua pergunta nos comentários!

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.



Assine nossa newsletter.





Posts mais vistos